O Aquecimento Global.

Sempre que vejo muito burburinho em torno de algo, gosto de mandar os meus bitaites e aqui fica o meu sobre o aquecimento global.dinossauro pedalar

Há uns meses atrás vi uma manifestação de um grupo de pessoas, que de uma forma séria (pelo menos esforçaram-se por o parecer), usaram cartazes e tudo para defender o direito dos caracóis. Sim meus amigos, a manifestação ao que sei foi séria!

À primeira vista pensarão: “Mas quem foi o mentecapto que foi manifestar-se a favor dos direitos dos caracóis?” – é parece que há pessoas desesperadas por uma causa, de tal forma que se agarram à primeira coisa que lhes oferecem.

Esta coisa do aquecimento global é praticamente a mesma coisa. Os registos a que temos acesso estão para o tempo de vida do planeta terra, como um grão de areia está para um areal e queremos convencer toda a gente que esse grão de areia regula todo o areal.

Há muito tempo que vi um artigo científico que defendia a seguinte teoria sobre a extinção dos dinossauros:

Não foi cometa algum que os extinguiu, quando muito dizimou muitos, mas a extinção da espécie na generalidade não foi causada por nenhum cataclisma súbito como gostamos de romancear. As mudanças climatéricas do planeta levaram à sua extinção. Os dinossauros são de uma época em que o clima do planeta nos pólos seria algo do género como cinquenta graus centígrados, os níveis de água eram extremamente elevados pois não havia gelo, uma humidade enorme e propicia ao desenvolvimento de enormes plantas que por sua vez proporcionavam alimento abundante aos herbívoros em cadeia, igual abundância para os carnívoros. Para quem já teve repteis em casa, sabe que o segredo para crescerem é uma mistura de: alimentação, calor e humidade consoante a espécie. Durante milhões de anos estiveram reunidas as condições para o desenvolvimento de lagartos gigantes. Mas certo dia a terra começou a arrefecer, talvez pelo efeito estufa causado pelos gases libertados por tantos dinossauros, é uma teoria como tantas outras.

À medida que a terra arrefeceu, a espécie perdeu as condições favoráveis à sua permanência no planeta, a espécie mutou e deu origem a alguns exemplares que hoje temos como originários da espécie matriz conhecida como dinossauros.

Se os dinossauros tivesses desenvolvido algum tipo de inteligência, acredito que também eles tivessem realizado cimeiras do clima e tentado limitar a libertação de metano de tantos ânus que havia na altura, mas o resultado final teria sido o mesmo.

Os pólos continuariam a congelar, os oceanos a diminuir de volume e a temperatura média a descer de forma acentuada.dinossauro come ciclista

O homem é tão prepotente que acha que tem a solução para o planeta, o planeta que lhe deu origem e antes dele a outras tantas espécies, que provavelmente nunca saberemos que existiram porque o próprio planeta que lhes deu origem, encarregou-se de as eliminar.

Deixem-se de parvoíces, andem mais de bicicleta e aproveitem o tempo que vos resta, podem não mudar nada por pedalar, mas de bicicleta garanto-vos que compreendem melhor o mundo que está à vossa volta, nem que seja o vosso bairro e no tempo que a vida vos reserve, serão mais saudáveis e felizes.

Não venham é por ai alguns dizer que é do suor dos ciclistas que provém a o responsabilidade pelo aquecimento global.

Anúncios

2 responses to “O Aquecimento Global.

  1. Olá
    Fazer um paralelo da luta contra as alterações climáticas com uma manifestação pelo direitos dos caracóis é redutor e mesmo absurdo. Outras considerações envolvendo dinossauros também são completamente deslocadas e desfasadas em relação ao período da história humana. O que está em causa com as alterações climáticas é muito mais vasto e importante! A mudança nos modos de mobilidade conta muito para evitar as emissões de gases de efeito de estufa provocadas pela utilização de combustíveis fósseis, pois os transportes contribuem em larga percentagem para tais emissões. Portanto andar de bicicleta pode ser para quem o quiser (e tal também deve ser, por isso, tido em conta pelas políticas, planos e regulamentações públicas) um forma de ativamente evitar de produzir gases de efeito de estufa.
    As alterações climáticas são um facto mais que evidente para a grandísima maioria da comunidade científica.
    Como tal deixo um extracto da minha Tese de Mestrado, págs. 13 e 14:
    “Vide livros do Prémio Nobel da Paz de 2007, nomeadamente (Gore 2009:12): «Hoje, a maior parte das pessoas compreende que queimar combustíveis fósseis (como carvão, petróleo e gás) torna mais densa a camada atmosférica que envolve o globo e, ao fazê-lo, retém mais perto da superfície da Terra uma muito maior quantidade de calor solar. Os níveis de aquecimento atmosférico que resultam deste processo desestabilizam radicalmente o equilíbrio climático que existiu ao longo de toda a história humana»; vide, também, http://data.giss.nasa.gov/modelforce/ghgases/ com gráficos ilustrativos de «Assumed histories of CO2, CH4, N2O and other trace gases, which are based on in situ measurements for the past few decades and ice core data for earlier times» nomeadamente a Fig.
    «CO2 forcing» ” (…) “Os anos mais quentes no período entre 1880 e 2011 foram precisamente 1998, 2001, 2002 2003, 2005, 2006, 2007, 2009, 2010 e 2011 – vide http://www.earth-policy.org/data_center/C23 (ficheiro .xls correspondente ao separador «Ten Hottest Years on Record») que baseou os seus dados no Goddard Institute for Space Studies da NASA in http://data.giss.nasa.gov/gistemp/tabledata_v3/GLB.Ts.txt , correspondentes à temperatura média global”. Para consultar a minha Tese de Mestrado visitar: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/23313
    Não vou entrar em mais pormenores, para além de referir o potencial exponencial altamente perigoso do metano acumulado no «permafrost» que ao derreter por causa das alterações climáticas já se está a libertar para a atmosfera aumentado as alterações climática e a temperatura média do planeta, ou, o caso de Viriato Soromenho Marques, que já foi Presidente da Quercus, e divulgou, num jornal português, os dados do marégrafo de Cascais que detetou, ao longo do século XX, uma subida de 13cm do nível médio dos oceanos, ver http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=3622083&seccao=Viriato%20Soromenho%20Marques&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco . Por causa das alterações climáticas levantam-se novos paradigmas para evitar a emissão de gases de efeito de estufa: comer menos produtos de origem animal e da pecuária industrial, apostar em transportes mais eficientes como os públicos, o andar a pé e de bicicleta, bem como apostar em veículos elétricos – automóveis, motos e bicicletas elétricas.
    Como tal acho o teor do artigo do Projeto Pedal irónico é certo, mas displicente e supérfulo desprestigiando o papel dos ecologistas que lutam para se evitarem as alterações climáticas e que, por isso, são, por exemplo, a favor de maior circulação em bicicleta.
    Saúde

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s