Bicicletas roubadas, negócio em ascensão.

A criminologia, a ciência que estuda o crime, tem uma área de estudo que se designa por “vitimologia”, esta entre muitas outras coisas, mostra como a vítima contribui para o crime.

Nos últimos anos o ciclismo tornou-se um grande negócio e tudo que prospera leva o crime atrás. O roubo e furto de bicicletas tem crescido de forma proporcional ao negócio legitimo, no fundo trata-se de uma resposta a uma procura cada vez maior.

O crime é um negócio e os negócios só prosperam se houver clientes.

Desde verdadeiros “bikejacking” muitas vezes com recurso a violência, ás tradicionais visitas a garagens, arrumos, armazéns e mesmo lojas, hoje há de tudo.bicicleta roubo

O ciclismo apresenta-se para todos como um excelente mercado, quer para os que passam factura, quer para os negócios paralelos das “réplicas” (crimes fiscais), quer para o crime propriamente dito, a usurpação de propriedade.

O praticante procura barato, na sua grande maioria liga pouco, ou nada à proveniência do artigo, quando liga contenta-se com poucas explicações, raramente pede fatura da compra, o que compensam o baixo preço da peça e assim prolifera o negócio,

O crime parece estar a especializar-se, há redes organizadas, furto, receptação, desmantelamento e venda dos materiais subtraídos aos seus legítimos donos.

O praticante comum julga-se apenas vitima, ou potencial vitima, receia fazer parte da lista de subtraídos às suas queridas e dispendiosas bicicletas.

Nas voltas domingueiras a par do medo e da conversa sobre o amigo, do amigo que nessa semana se juntara às estatísticas de roubo, comenta-se também o negócio excelente daquele par de rodas, aquele conjunto de transmissão semi-novo, o guiador, o espigão…que negócio! Excelente! Ninguém se preocupou com a proveniência, do material, mas coitado do colega que ficou sem a bicicleta, má sorte que não nos bata à porta.

O furto, ou roubo de bicicletas não é de agora, já há mais de dez anos que me recordo de ouvir falar de “bikejacking” em plenos trilhos e o “modus operandis” é sempre o mesmo:

“O praticante é abordado de forma violenta por dois, ou até mais indivíduos que de seguida se põe em fuga de moto 4, ou uma viatura furtada. Este tipo de furto acontece por norma nos próprios trilhos, se bem que já houve relatos de situações semelhantes em pela estrada asfaltada.”

Bikejacking, é quando o praticante é abordado em cima da bicicleta e por norma há recurso a violência, ou persuasão violenta para concretizar o roubo.

Bikejacking, é quando o praticante é abordado em cima da bicicleta e por norma há recurso a violência, ou persuasão violenta para concretizar o roubo.

Neste ultimo caso pouco se pode fazer, talvez não resistir para evitar a agressão, manter a calma tanto quanto possível e tentar prestar atenção a detalhes que venham a possibilitar a identificação dos responsáveis.

A única forma eficaz de travar isto é a prevenção, uma vez que mercado para pechinchas está em expansão e é universal, dai a grande dificuldade na maioria das vezes em recuperar o material furtado.

A prevenção continua a ser a melhor arma contra o crime.

A prevenção continua a ser a melhor arma contra o crime.

Não divulgue tracks, registos digitais e outras indicações da sua residência, por muito segura que seja a sua garagem, arrecadação, armazém, assegure-se que tem uma segurança extra sobre a, ou as bicicletas e se pensou em cadeados, esqueça! Todo o ladrão vai preparado para cadeados, por mais hi-tech que sejam.

Seja criativo ao proteger as suas bicicletas, use alarmes sonoros, armários tipo “cofre”, evite guarda-las sempre no mesmo sitio, crie marcas especificas, etc…

Para que amanhã não sinta na pele o que é ficar sem a sua bicicleta, não compre “pechinchas” sem pedir a respectiva fatura, verifique os números de série junto dos importadores, tão ladrão é o que rouba como o que deixa roubar, bem como o que compra o que foi furtado.

Somos todos responsáveis.

Boas pedaladas.

Anúncios

2 responses to “Bicicletas roubadas, negócio em ascensão.

  1. Forami roubadas em Estarreja junto da estação da CP duas bicicletas de montanha uma de marca Confersil de senhora de cor de rosa com guarda lamas pretos,e outra de marca Dallas de homem de cor verde e incrições a branco sem guarda lamas e toda ela em ferro.Se alguém as localizar agradecia que me contactasse para o 935090089.Sebastião Coelho.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s