Todo o treino funciona…

O corpo reage ao exercício de maneira mais, ou menos idêntica de individuo, para individuo.

Os períodos de adaptação ao exercício variam consoante factores como: a idade, a condição física, o historial desportivo, historial clínico, entre outras de considerável relevância.

Fazer exercicio nem sempre significa que estejas a "treinar" o que pretendes.

Fazer exercício nem sempre significa que estejas a “treinar” o que pretendes.

O papel do treinador, ou do preparador físico (já que uma coisa difere muito da outra) é adaptar a carga do exercício, ao momento, à condição e ao objectivo.

“Todo o treino funciona, durante um determinado período de tempo”

Hoje, mais que nunca, existe uma enorme procura por preparadores físicos (“PT’s”), por parte do novo praticante de ciclismo, do novo praticante de desporto.

Uma avaliação física credível e um plano de exercício devidamente ajustado às condições e objetivos do praticante, é possível num “curto espaço de tempo”* o aspirante a atleta sentir uma colossal evolução.

*”curto espaço de tempo”, refiro-me a um mesociclo de treinos que pode ir das 12 ás 24 semanas, dependendo do praticante em causa.

Isto deve-se principalmente ao facto do corpo passar a ser sujeito a um estimulo lógico e organizado, em detrimento do caos que a esmagadora maioria dos praticantes se sujeita.

O treino desportivo é a organização de 3 fatores essenciais: o exercício, o descanso e a nutrição.

A conjugação harmoniosa dos mesmos, resulta no aumento da performance, ou se preferir de uma forma menos técnica e sem uma conotação tão “à pró”, se treinar bem, descansar quando deve e comer de acordo com as suas necessidades, irá pedalar mais, ou com menor esforço.

O erro mais comum do praticante é procurar serviços de preparação física, nem que seja através de “copy paste” de treinos pesquisados na web, quando o que realmente necessitava era de um treinador, nem que fosse para esclarecer dúvidas.

Esta opção, pode muito bem, frustrar os objectivos logo à partida.

Isto porque enquanto no papel de preparador físico, apenas faço a avaliação da condição física e prescrevo as cargas/estímulos adaptados em função do resultado da avaliação. Já enquanto treinador há um papel, uma participação muito mais ampla, participativa e até extremamente complexa.

O treinador é responsável por arquitectar e gerir todos os aspectos possíveis que influenciam a prestação desportiva do atleta.  Este deve dominar o maior numero possível de áreas de conhecimento, só desta forma será capaz de articular esforços com o trabalho de diversos profissionais com papel relevante no assunto, como pode ser o caso de fisiologistas, psicólogosat nutricionistas, biomecânicos e até mecânicos.

Assumir o papel de treinador perante um atleta vai muito além da prescrição de exercícios.

Apesar da expressão “eu tenho treinador” se ter democratizado, são poucos os que realmente o tem, até porque a exigência dos resultados esperados também não justificam o investimento de tempo e de dinheiro que a situação exige e mesmo que não seja esse o problema, o rigor do treino de elite está longe do que a maioria imagina.

Ocorre-me então a expressão “prêt-à-porter

A expressão prêt-à-porter significa “pronto para vestir” e foi criada pelo estilista francês J.C. Weil, no final de 1949, depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Em pleno pós-guerra, no auge da democratização da moda, surgiu o prêt-à-porter, libertando as confecções da imagem ruim associada ao dia a dia, ampliando o campo de ação em todo o mundo e crescendo diante da decadência da alta-costura.

atletas em todo o ladoNão se trata aqui da decadência do treino desportivo propriamente dito, porque este, na sua máxima expressão é exclusivo, uma vez que o especto de trabalho do treinador não permite a este trabalhar com largos números de atletas em simultâneo.

Isto leva a que muitos praticantes recorram à web em busca de fórmulas de melhorar a condição, adquirindo e adoptando planos de treino totalmente sem lógica quer para os seus objectivos, quer para a sua condição física.

Foste à net “sacar” um plano de treino, mas sabes ao mesmo o que estás a treinar?

Certo é que para o praticante de lazer, sem ter de despender de valores consideráveis e sem ter de se submeter à ditadura de treinos de atletas de elite, também ele, pode vir a sentir-se um verdadeiro campeão, tornar-se um “local hero”, com um simples, mas minimamente regrado e ajustado plano de exercícios/treino, à sua condição física e aos seus modestos objectivos.

Até podes querer ser campeão do mundo, mas conseguir…já é outra coisa.

Mas o que podes, é amanha andar muito melhor do que aquilo que andas hoje!

Pois certo, é que qualquer que seja o treino que adoptes, se tiveres capacidade de o enfrentar, ele irá resultar, durante um determinado período de tempo.

O verdadeiro treino tem como objetivo projetar uma condição fisica "otima" para uma determinada data. O treino para lazer, procura apenas a melhoria da condição fisica geral.

O verdadeiro treino tem como objetivo projetar uma condição fisica “otima” para uma determinada data. O treino para lazer, procura apenas a melhoria da condição fisica geral.

É que todo o estímulo, por repetição cria adaptação, da mesma forma que encontrará estagnação, até que deixe de repetir, ou alguém lhe indique qual o próximo passo a dar.

E não te esqueças que treinar é: exercício, descanso e alimentação em harmonia.

Bons treinos! 🙂

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s